Tradutor / Translate

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Mercado imobiliário brasileiro cresce equilibrado

O mercado de imóveis vêm se configurando como um dos mais promissores da indústria brasileira  em 2012. Os objetivos de estratégias para fortalecer este setor, fez com que imobiliárias e construtoras ganhassem destaque através da expansão das suas linhas de crédito, e também de novos empreendimentos.
Novo Empreendimento Marinas da Cachoeira

A tendência para 2013 é um crescimento cada vez mais equilibrado, onde no cenário atual, a harmonia prevalece diante das oscilações de preço. Além disso, a gestão no mercado de imóveis tornou-se mais criteriosa no Brasil, perante a crise gerada pela “bolha imobiliária” nos Estados Unidos. Por meio de uma análise mais consistente do consumidor atual, a qualificação das nossas políticas de investimento neste mercado foi bastante efetiva nos últimos meses.

Vale destacar também as mudanças referentes a um cidadão que está mais ativo e exigente, quanto ao planejamento para realizar o sonho da casa própria. Esta realidade se contrapõe, a um dos maiores desafios no mercado imobiliário, até mesmo florianópolis: a qualidade na formação de profissionais, o que inclui desde a construção civil até o atendimento ao cliente com o corretor de imóveis.

Neste contexto, uma das expectativas é que o aumento nas demandas de mão de obra acompanhe os processos constantes de reestruturação para a mobilidade urbana, nos estados brasileiros. Fatores como estes ficam de aviso para organizações e empresários que souberem interpretar este cenário, como forma de potencializar os resultados de um mercado que está prestes a se tornar, uma das principais forças econômicas do país. Com informações Jornal Agora - Anderson Moura

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Isenção de impostos é aprovada para venda de imóveis no período de um ano

Investir em imóveis para revenda poderá ficar mais simples e lucrativo.

Os imóveis que forem comprados ou vendidos no prazo de um ano estarão isentos do imposto de renda incidente sobre eventuais ganhos obtidos nas transações, o chamado ganho de capital ou lucro imobiliário. Essa é a essência do relatório do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) ao Projeto de Lei do Senado (PLS nº 21/2009), aprovado por unanimidade e em decisão terminativa em 08 de maio de 2012 pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. Atualmente ele se encontra na Câmara dos Deputados para votação.

O projeto prevê o aumento do prazo de isenção do imposto de renda  de Pessoa Físcia (IPF) que atualmente é de 180 dias para 365. O objetivo do projeto é garantir o prazo necessário para que o vendedor do imóvel compre outro nesse período e fique isento do pagamento do imposto de renda sobre os valores.

A proposta altera o art. 39 da Lei nº 11.196/2005, também conhecida como “Lei do Bem”. O relator argumenta que “o alto valor monetário do imóvel residencial, o rigor documental exigido nas operações de compra e venda, e o número de pessoas envolvidas tornam a transação com imóveis procedimento complexo, que muitas vezes não se resolve no exíguo prazo de 180 dias”.

Compreendendo a lei
Uma pessoa compra um imóvel e depois de ter filhos decide vendê-lo.
Na época da compra pagou-se pela casa R$ 30 mil a vinte anos e vendeu a mesma casa por R$ 100 mil, o imposto apenas incidirá sobre a diferença, o ganho de capital de R$ 70 mil, desde que essa pessoa não adquira outro imóvel no período de 365 dias.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Comprar imóveis na planta pode render 50% até a entrega das chaves

Os imóveis adquiridos ainda na planta, podem ter uma valorização de até 50% na entrega das chaves, uma boa opção para quem busca um imóvel novo e não tem muita pressa para a mudança ainda para aqueles que buscam uma forma de investir . Porém algumas precauções para que os prazos de entrega sejam cumpridos.

Confira dicas para reduzir os riscos

  • Sempre checar o histórico da construtora
  • Consulte se a empresa teve alguma reclamação no Procon ou algum tipo de pendência na justiça, converse com outros compradores de algum imóveis da companhia para checar a qualidade, prazo de entrega e idoneidade da construtora.
  • Exija documentação do empreendimento registrado em cartório, todas as incorporadoras precisam registrar um conjunto de documentos que inclui o terreno onde será construído o prédio, o projeto aprovado pela prefeitura, entre outros.
  • Registre a compra do imóvel em cartório, tornando-a oficial.
Por isso, é importante buscar parceiros sérios e comprometidos em Florianópolis. A Imobiliária Diego Lomba atua com construtoras renomadas e vêm obtendo destaque pelos serviços imobiliários realizados no Norte da Ilha de Santa Catarina há mais de 12 anos. Contate-nos e saiba mais: (48) 3284-5010.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

13 dicas de decoração para espaços pequenos com porcelanato e mobília multifuncional

Decorar ambientes pequenos pode ser uma tarefa mais fácil do que você imagina. Com apartamentos e casas cada vez menores, é sempre bom saber como planejar a decoração para criar a impressão de ampliação do espaço. Um  dos truques para ganhar alguns metros é usar o piso a seu favor.
 
Algumas técnicas simples na hora de escolher e assentar o piso podem enganar os olhos e deixar o ambiente maior. A primeira delas é a cor: Tons claros e neutros aumentam a sensação de ventilação e, inevitavelmente, causam a impressão de que o ambiente é mais espaçoso. O mesmo vale para o tamanho da cerâmica. Quanto maior, mais amplo o ambiente aparenta ser.

O rejunte também desempenha um papel importante na hora de dar mais profundidade ao chão. Em casas ou apartamentos pequenos a melhor opção é apostar em porcelanatos, onde a distância entre as peças é menor. Quando a distância entra as peças é grande e o rejunte mais aparente, há uma quebra na linearidade do piso, o que causa a sensação de redução do espaço.

A direção em que o piso é assentado é outro fator a ser considerado se a intenção é ampliar o ambiente. Aposte em pisos colocados na vertical ou diagonal. Estas direções funcionam como um truque para os olhos, que veem o espaço com maior profundidade. Com esses pequenos truques você ganha alguns metros quadrados no seu lar.

Em espaços pequenos não há nada como apostar em mobília multifuncional para decorar com estilo e praticidade, por isso separamos para vocês umas dicas de como aproveitar melhor o espaço com muito estilo.

Confira as dicas:
1. Elimine todos os objetos que não combinem com a divisão e decoração pretendida e/ou que não tenham qualquer utilidade – não há espaço para acolher coisas pouco essenciais. O que escolher manter deve ter um lugar certo, porque ao manter tudo organizado e no sítio, o espaço vai automaticamente parecer mais amplo e arejado.

2. As cores mais suaves e claras aumentam de forma natural um espaço reduzido. Preferencialmente, opte por uma decoração monocromática, ou seja, escolha uma só cor e utilize-a em tons de intensidade variada.

3. A luz natural é o melhor amigo de um espaço pequeno, inundando-o com um efeito surpreendente que parece aumentar o recanto mais minúsculo. Se não interferir com a sua privacidade, evite pendurar cortinas; se fizer questão de vestir as janelas escolha um cortinado leve e semitransparente, sempre em tons claros. Se a luz natural não for muito abundante, invista na iluminação artificial com focos de teto, candeeiros de pé e de mesa.

4. Os espelhos são um dos melhores recursos para fazer qualquer espaço crescer a olhos vistos: pendurado ou pousado no chão, um espelho é um dos elementos que não pode faltar nas divisões mais pequenas da casa.

5. Evite dispor mobiliário junto às portas e nas áreas de passagem. Aposte em mobília “curta” poufs, cadeiras sem braços, mesas baixas – para não roubar centímetros preciosos e “abrir” mais o ambiente. Em termos de objetos decorativos, principalmente os que são mais altos, deve colocá-los, de preferência, junto às paredes em vez de no espaço aberto.

6. Ainda em termos de mobiliário opte por peças grandes, em menor quantidade; do que muitas peças pequenas. A quantidade vai dar um aspecto desarrumado ao espaço, ao contrário de meia dúzia de elementos de grande porte que vão emprestar um ambiente calmo e estruturado ao espaço.

7. Um chão visível fará qualquer divisão parecer maior ao contrário de um coberto por tapetes. Se não abdica de um bom tapete, opte por colocá-lo apenas numa parte do espaço, deixando sempre algum chão à vista.

8. Em vez de ter uma mesa de centro na sala, opte por uma consola comprida e estreita para exibir por de trás do sofá ou então uma mesa de apoio estacionada ao lado do sofá e que pode ser colocado no centro sempre que necessário.

9. As televisões estão presentes em todos os cantos da casa e podem ser verdadeiros “intrusos” em espaços diminutos. Um suporte específico para televisões que podem ser afixadas às paredes ou então modelos como os LCD que são perfeitos para pendurar.

10. Num quarto para crianças com dimensões reduzidas, opte por beliches ou então as camas 2-em-1, onde uma delas está camuflada como uma espécie de gaveta encaixada sob a cama de cima, podendo ser aberta de noite e ocultada de dia.

11. Mesmo as casas mais pequenas têm corredores é o local ideal para colocar armários estreitos (ganhando espaço de arrumação diverso) ou então para exibir a sua biblioteca. Se preferir deixá-lo vazio, pintar as suas paredes com riscos horizontais irá alongar o corredor.

12. Os materiais transparentes alongam qualquer zona porque acabam por refletir a luz e o próprio espaço: pode ser uma mesa com tampo de vidro ou de acrílico, portas e armários com vidro, cadeiras em acrílico transparente.

13. Numa cozinha com poucos metros quadrados, escolha uma mesa que possa ser afixada à parede e aberta exclusivamente à hora das refeições; bancos altos ou empilháveis; uma barra de aço inox afixada sobre a bancada para organizar todo o tipo de utensílios – uma decoração minuciosa para poder cozinhar e saborear com muito estilo.   

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Florianópolis é referência em inovação e tecnologia do país

O que está levando tantos profissionais a procurar emprego e imóveis em Santa Catarina? A busca por conhecimento é apenas um dos motivos. Na verdade, é a tecnologia “made in Florianópolis” O diagnóstico médico ficou mais rápido e preciso com a ajuda de um software de imagens digitais. Outro programa permite às indústrias evitar o desperdício de tecido na hora do corte. Outro é capaz de substituir até o tratorista no campo. Veja abaixo a matéria que rodou na TV:


Quando aparece uma novidade, como os tablets, tem gente desenvolvendo aplicativos. Estes são exemplos de uma revolução silenciosa que começou na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), há 25 anos, com a criação de uma incubadora de empresas de base tecnológica. Florianópolis se transformou em um dos principais pólos de tecnologias inovadoras do país. Hoje são 550 empresas. Juntas elas geram mais impostos para a cidade do que setores tradicionais como a construção civil e o turismo.

Como elas foram longe. O software que aproveita melhor o tecido agora é usado por oito mil empresas em 30 países. A fama de “Meca tecnológica” atrai profissionais de todo o Brasil, como o baiano Alberto Lemos, mestre em física e craque em programação.“Aqui eu encontrei um ambiente propício para desenvolver essa parte da área de tecnologia e, ao mesmo tempo, viver melhor, em um ambiente diferente”, conta o programador Alberto Lemos.

O setor, que só em Florianópolis emprega cinco mil pessoas e cresce 30% ao ano, já teme um apagão de mão de obra. “Você deve pensar que tudo começa pequeno, mas pensando em criar algo, uma tecnologia que possa ser levada para qualquer lugar do mundo, algo inovador, diferente. Com isso, você conquista mercados”, afirma Cláudio Grando, diretor da Audaces.
Com informações Bom Dia Brasil